Τρίτη, 12 Φεβρουαρίου 2013

DESDE QUE NÃO METAM CAVALO NO FRANGUINHO CÁ POR MIM NEM NOVO PAPA NEM NOVA PAPA A PAPA CHEIA DE HORMONAS É FATAL

  •  não há democracia com bifes desvalorizados para manter a inflação
     
    Não, seu Jaga menos um CANIBAL por obra e graça de deus e de suas moitas, uma democracia só funciona com uma economia que satisfaça as necessidades dos cidadãos.
    A Índia não é uma verdadeira democracia, é uma pseudo-democracia de miséria que pouco difere do colonial rule, uma economia pujante segundo NOSSO FORD permite às classes mais baixas adquirirem bens que lhe deêm status social e económico, ou seja uma democracia económica não tem párias sociais ou económicos em grande quantidade.
    Ou num simplex, mais simplex, não tem carradas de Joões patetas em barda ao pé de feijoeiros gigantes que dão patacas e pitacas antunes….
    Não sei se fui claro ou se fui pôr o cavalo em cima das vacas….
  • Uma Democracia funciona por expectativas de cidadãos livres cuja democracia económica depende das colónias gregas ou das escravas egípcias e dácias e trácias e outras merdas sub-humanas.
    Se a Democracia se Extingue porque as suas bases económicas se degradaram, tal resulta de políticas económicas baseadas no absurdo de que a economia é um fenómeno democratizável, que se pode criar riqueza por decreto e que a riqueza virtual cria riqueza real para todos.
    Assim a democracia tornar-se-à cada vez mais autoritária e austeritária à anos 20 por constrangimentos económicos.
    O facto de se subsidiar a carne de vaca é uma boa política, pois permite não misturar muito cavalo ou mosca na carne e manter uma democracia alimentar, essencial à democracia irreal.
    A queda democrática Não foi por falta de discutir alternativas, foi por se discutirem alternativas de merda sem relação com a situação em estudo, espécie de relatório falado da universidade de évora sobre o trânsito dos javalis de obélix — as tais discussões não foram amplamente trabalhadas mas sim ideologicamente trabalhadas em enredos de contos de fadas e fodas nos fóruns, nas assembleias e nos congressos,nos con gressos, nos ucais e noutros locais proclamadas em manifestos e livros, sugeridas e de batidas em batidas tornaram-se loas e batidos de deuses barbudos mortos que se querem fazer vivos.
    Também é por falta de qualidade de intervenção. Pela primeira vez em gerações, há uma sociedade que pensa ser educada, capacitada para a mudança, quando nem sequer se apercebe das múltiplas naturezas da mudança, como qualquer agricultor octagenário semi-letrado é capaz de o fazer, porque ele viveu os tais tempos de mudança que voltam ciclicamente.
    Não há ordem dos fatores pois a economia usa palavras para mascarar a ignorância dos economistas tal como a política: o problema financeiro, económico e social,é resultante do problema democrático europeu….
    Não há democracia sem economia, nem economia funcionante sem democracia económica, encorajar a crédito uma democracia de consumo que não produz os bens que consome nem produz as matérias primas necessárias para os produzir e transportar não é uma democracia económica é simplesmente uma ficção democrática e económica.
    Ao cortar-se o bife democrático, desvaloriza-se o valor económico do bife e do papa que nos bifou a papa, pecebeu chavalo? num chute na vaca fria não….
    vacas do caralho a deixarem-se montar pelos chavalos

    Habemus papa pra papar?
    Eu te Papo ó meu grande boi...ou diz-se bói, tempos de canibais e outros que tais